Instituto Superior Técnico

SONAE | CIO@IST

Sexta sessão, David Ferreira Alves

8 de Março, 2017

17:30, Campus Alameda - FA3, Pavilhão de Informática III, Taguspark - A1

A Iniciativa

Faz parte da missão do IST, como grande escola de engenharia, procurar ligar o seu ensino e investigação aos desafios da economia e da sociedade onde se irão inserir os profissionais que forma.

A Engenharia Informática é uma das áreas da Engenharia com maior crescimento e impacto no tecido empresarial e na administração pública, sendo também uma das mais representativas em número de alunos e na investigação do IST e dos seus laboratórios.

A iniciativa CIO@IST (Chief Information Officer) insere-se na procura de diálogo da Escola com os desafios actuais da Engenharia Informática, procurando trazer ao IST responsáveis de topo da informática de grandes organizações para que estes deem um panorama de médio prazo dos desafios da Informática nas suas organizações e no setor económico onde se inserem.

Procurar-se-á convidar as mais relevantes organizações de vários setores empresariais e públicos e os gestores reconhecidos pela visão e inovação que imprimiram às suas organizações.

Estão previstas três sessões para o corrente ano lectivo . Estas sessões acontecem ao final da tarde no salão nobre do IST e são abertas a todos os discentes e docentes, bem como a convidados externos à Escola. Como parte desta iniciativa criar-se-á conteúdo multimédia para divulgação de meios electrónicos dos conteúdos apresentados.

Cada sessão tem a duração de 1 hora e conta com uma apresentação do convidado de cerca de ½ hora seguida de debate. A cada convidado pede-se que seja dada a sua visão sobre os seguintes tópicos:

  • A função e importância das TI na área de negócio e na empresa convidada
  • A arquitectura dos sistemas informáticos da empresa
  • Actual – as-is
  • Plano de transformação de curto/médio prazo
  • Os desafios futuros
  • Como se perspectiva o uso/impacto das TI no setor de negócio a longo prazo (10 anos).
  • Desafios principais em termos de inovação: negócio, tecnológicos, sociais
  • Desafios/recomendações na formação dos engenheiros informáticos face aos desafios actuais e futuros

 

The Organizing Committee

Sexta sessão

SONAE | CIO@IST

A Sonae é um dos maiores grupos empresariais nacionais e tem um vasto leque de actividades, sendo uma das maiores e mais conhecida a do retalho, quer alimentar quer a do especializado no desporto, vestuário e electrodomésticos, entre outros, e mantendo para todos a operação e a respectiva logística de suporte. Muitas destas actividades têm operações internacionais de dimensão.

No sector do retalho, a Sonae dispõe de uma unidade tecnológica, a Business Information & Technology (BIT), responsável pela conceção, desenvolvimento e operação de todos os sistemas informáticos de suporte ao negócio, quer para lojas quer nas vertentes digitais.

A Sonae tem também um grupo de reflexão da utilização das tecnologias de informação, Fórum de Tecnologias de Informação FINCO, onde são analisadas novas tendências, propostas inovadoras de fornecedores ou novas abordagens baseadas em IT.

O Dr. David Alves é o CIO do Grupo Sonae, administrador da SONAE MC, Presidente do FINCO, das empresas Sonae, e ainda responsável pela BIT desde 2013 o que lhe permite uma visão abrangente de todos os sistemas de informação do grupo bem como das inovações tecnológicas mais recentes.

Em 2016, o Dr. David Alves foi eleito “CIO do Ano” pela CIONET e viu reconhecido nos Portugal Digital Awards a transformação no modelo operativo e na cultura efetuada na BIT.

A visão de uma empresa de sistemas de informação que suporta um grande grupo de retalho, a sua organização e arquitectura de sistemas de informação e os desafios próprios da área do retalho quer tecnológicos quer organizativos nos próximos anos são alguns dos temas a abordar nesta sessão do CIO@IST.

Apresentação da Sessão

Perguntas e respostas

Quinta sessão

EDP | CIO@IST

As Tecnologias de Informação na EDP, oportunidade para conhecer a empresa que em Portugal mais investe nesta área

A EDP é um operador de energia verticalmente integrado e o maior produtor, distribuidor e comercializador de eletricidade em Portugal. Tem uma presença internacional em mais de 14 países, sendo particularmente relevante em Espanha, Brasil e EUA.

Como operador, insere-se na indústria que se designa por utility, classificação que designa as empresas que oferecem um serviço de base de uso generalizado.

A dimensão, a abrangência de atividades e a presença internacional fazem com que os Sistemas de Informação da EDP sejam cruciais para a operação e gestão da empresa, tanto na geração, como na comercialização de energia. Na área das redes de distribuição de energia o impacto das Tecnologias de Informação assume uma importância central, com a possibilidade de todo o fornecimento ser controlado em tempo real com capacidade de otimização dinâmica do consumo, tarifas, percentagem das diferentes fontes de produção de energia, etc. Esta evolução designada por smart grides abre um vasto leque de potenciais inovações a todos os níveis do negócio da EDP.

A EDP levou recentemente a cabo uma definição estratégica plurianual da sua área de Sistemas de Informação e está no corrente ano a levar a operacionalizar este plano.

O Eng.º Vergílio Rocha é o responsável pela Direção de Sistemas de Informação do Grupo EDP, direção corporativa com responsabilidade em todas as empresas e geografias e irá apresentar os desafios que se colocam à EDP nas tecnologias e organização dos sistemas de informação do grupo, nomeadamente nos seus planos para uma EDP Digital, no horizonte de 2020.

Apresentação da Sessão

Perguntas e respostas

Quarta sessão

FIDELIDADE | CIO@IST

A informática no setor segurador – o caso Fidelidade

A atividade seguradora é das mais antigas na área financeira e sempre esteve associada a um profundo conhecimento da informação estatística e da matemática para o cálculo dos riscos. Tem também processos de negócio bem estabelecidos e altamente regulamentados, onde os sistemas informáticos são cruciais para a gestão da informação.

Com o desenvolvimento da economia digital, o setor dos seguros tem revisto as formas de contacto com os clientes das tradicionais redes de mediadores para utilizar outros canais como os call-centers, a internet ou as redes sociais, sendo uma área onde o desenvolvimento de novas alternativas de contacto com o cliente está em profunda mutação.

A Fidelidade é a maior seguradora nacional presente em todos os ramos e agrega outras companhias seguradoras como a Multicare nos seguros de saúde e a Ok teleseguro.

A Fidelidade tem um longo historial de investimento nos sistemas de informação de suporte ao negócio e experimentou, durante a sua existência, diversos processos de fusão e cisão típicos na evolução económica, mas com enormes impactos na estrutura dos sistemas de informação.

Nesta apresentação, o Dr. Rogério Henriques, responsável na Administração da Fidelidade pelos sistemas de informação, irá explicar o suporte informático necessário para a atividade seguradora e as escolhas arquiteturais e de tecnologia da Fidelidade.

De particular interesse para os alunos da disciplina “Computação e Sociedade” são os aspetos relacionados com os sistemas e processos em exploração para garantia de conformidade (“compliance”) e privacidade dos dados pessoais no âmbito da atividade seguradora.

Por último, abordará os temas relacionados com os desafios futuros da atividade seguradora em termos das necessidades de IT e qual o tipo de formação que os futuros engenheiros deverão ter para responder a estes desafios.

Apresentação da Sessão

Perguntas e respostas

Terceira Sessão

A transformação para o digital num operador de redes energéticas – o caso REN

A importância da energia em todos os aspetos da economia e do funcionamento da sociedade é evidente e a maioria considera o funcionamento das redes de energia, um sistema de elevada fiabilidade e disponibilidade sem a qual a vida em sociedade do século XXI não seria possível.

Contudo, as redes energéticas são sistemas muito complexos onde intervêm numerosas empresas e reguladores nacionais e internacionais.

Em Portugal, a REN (Redes Energéticas Nacionais) é o operador da infraestrutura de base da rede de energia elétrica e de gás natural.

Como operador, insere-se na indústria que na literatura anglo-saxónica se designa por utility, classificação que designa as empresas que oferecem um serviço de base de uso generalizado. No século XX muitos destes operadores foram criados e geridos pelo Estado, mas progressivamente a redução do peso do Estado na economia criou uma tendência de serem privatizados passando a regimes concorrenciais e a poderem ter operações noutros países. A REN seguiu recentemente esta tendência, sendo hoje uma empresa privada cotada em bolsa e com acionistas internacionais de referência.

Pela importância do serviço prestado, os operadores de redes de energia têm de ter uma estrutura que lhes permita em tempo real controlar todo o sistema e estabelecer as interfaces com outros operadores, com produtores de energia e com as empresas distribuidoras.

Nesta apresentação o Eng.º Tiago Azevedo, responsável pelos sistemas de informação da REN, irá apresentar a forma como a tecnologia está a ajudar a REN a transformar o seu negócio.

Na apresentação será destacado o caminho que tem sido feito na transformação para o Digital, o sucesso e lições aprendidas, e quais os próximos passos que se avistam para o futuro.

Apresentação da Sessão

Perguntas e respostas

Segunda Sessão

A industria de Oil & Gas e as TI – perspectiva da Galp Energia

A indústria associada ao petróleo, conhecida na literatura anglo-saxónica por oil & gas, é uma das com maior volume de proveitos e de investimentos na economia mundial.

A indústria é muito complexa e normalmente encontra-se caracterizada como o upstream: prospecção exploração, produção, e o downstream que envolve o transporte, a refinação e as redes de retalho. Para além do petróleo e derivados, engloba o gás natural e frequentemente a extensão a outras fontes de energia naturais.

Todas estas componentes dependem fortemente das Tecnologias de Informação, desde a prospecção, controlo de produção, logística de transporte até às numerosas redes de abastecimento e retalho, que têm uma capilaridade enorme no tecido económico.

A Galp é uma das maiores empresas portuguesas e a destacada líder neste setor em Portugal. Com conhecidas operações de refinação e de retalho dos produtos derivados do petróleo e na comercialização do gás natural.

Tendo um foco inicial nas componentes de downstream, nas últimas décadas passou também a ter participações societárias relevantes em empresas/consórcios que se dedicam às componentes de upstream no Brasil e em África.

Nesta palestra, o Dr. Gonçalo Oliveira, responsável pelos Sistemas de Informação da Galp, irá apresentar as principais áreas de atividade suportadas pelo IT da companhia e a sua actual arquitectura de sistemas e aplicações.

Aspectos relevantes são os desafios futuros que se colocam genericamente à indústria de oil & gas e a forma como o IT se deverá estruturar para responder a estes desafios. Aspectos que também se reflectem nas competências dos futuros engenheiros informáticos necessários neste setor.

Apresentação da Sessão

Perguntas e Respostas

Entrevista Gonçalo Oliveira

Orador convidado: Gonçalo Oliveira

Primeira Sessão

As Tis no negócio bancário – A perspectiva do BPI

Desde a sua génese, a atividade bancária é iminentemente uma atividade de serviço que se baseia na informação: dos clientes, dos mercados, de outras entidades financeiras. Mas a importância das Tecnologias de Informação é crescente devido à enorme evolução que estende o suporte informático a praticamente todos os processos de negócio, desde o contacto com o cliente, nos home banking, sites de empresas, sistemas de pagamentos e transferências, mercados, suporte às operações internas, etc. As formas de comunicação digital também tem a evolução conhecida que implicam mudanças nos canais de comunicação com os clientes: call center, Web, móvel, rede socias.

O BPI, um dos grandes Bancos Portugueses, tem uma visão de como a arquitectura dos seus Sistemas de Informação pode suportar o seu negócio e diferenciá-lo.

Nesta palestra o Eng. Francisco Barbeira responsável global dos Sistemas de Informação do BPI explicou a visão do BPI para a arquitectura dos Sistemas de Informação, qual o plano de transformação em curso e quais os desafios futuros aos sistemas de Tecnologias de Informação na atividade bancária em geral.

Apresentação da Sessão

Resumo da Sessão

Perguntas e Respostas

Apresentação (PDF, 657KB)

Orador convidado: Francisco Barbeira

Oradores Principais


David Ferreira Alves

David Ferreira Alves é o CIO (Chief Information Officer) do Centro Corporativo da Sonae e Administrador na Sonae Modelo Continente e Sonae Retalho Especializado, com a responsabilidade pelos pelouros: Sistemas de Informação, Comércio Eletrónico e unidade de negócio Não Alimentar. É também Presidente do FINCO, Fórum de Tecnologias de Informação das empresas Sonae. Licenciado em Gestão pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, com diversas formações pela Harvard Business School, IMD e London Business School. No seu percurso profissional, exerceu o cargo de Administrador Executivo da Optimus, com os pelouros de Marketing e Comercial Particulares, Internet Móvel, Serviços Multimédia e Instalações. Dispõe de uma vasta experiência nas áreas de Marketing e Vendas, tendo chefiado na Optimus a Direção de Grandes Superfícies e da Unidade de Negócios Particulares, bem como Direção de Marketing & Vendas da unidade de negócio PME’s. Antes de ingressar na Sonae, trabalhou em diversas áreas da Procter & Gamble - Portugal

Engenheiro
Vergílio Rocha

Atualmente Director de Sistemas de Informação da EDP. Antes, Diretor e Membro da Comissão Executiva da Logica Iberia Energy & Utilities. Assumiu papeis de liderança em várias empresas tecnológicas em Portugal, nomeadamente Oniway (operador 3G), Timex (fabricante de relógios e microcomputadores) EID (fabricante militar e integrador de sistemas) e lançou dois sistemas, Globalsys e Tecnotron, para as empresas de fabrico por integração.


Rogério Campos Henrique

Rogério Campos Henriques é atualmente CIO e Membro Executivo do Conselho de Administração da Fidelidade, empresa líder em Seguros Vida e Não Vida Seguros em Portugal. Além da área de Sistemas de Informação (SI), tem como responsabilidades os Recursos Humanos, a Melhoria de Processos, o Procurement e logística, bem como as áreas de Planeamento e Controlo e de Business Development. Está no Grupo Fidelidade desde 2008, inicialmente com as áreas de SI e como Administrador da Multicare, a seguradora de saúde do Grupo. Durante este período, foi responsável pela implementação do novo Plano Estratégico de SI e liderou o turnaround e a reestruturação organizacional da Direção de Sistemas de Informação do Grupo. Na APS (Associação Portuguesa de Seguradores) coordena a Comissão Técnica "Segurnet" - a plataforma de sistemas da APS e que presta serviços às seguradoras portuguesas. Faz também parte do Advisory Board da CIONET em Portugal. Antes de ingressar na Fidelidade, Rogério Henriques trabalhou durante vários anos (1994-2002) na consultora The Boston Consulting Group em Portugal e Espanha, como gerente sénior nas práticas de Telecomunicações e Serviços Financeiros e mais tarde no Grupo Portugal Telecom (2003-2008), sendo responsável pelas áreas de Estratégia e Business Development na holding e posteriormente Chief Marketing Officer para as Operações Africanas do Grupo PT. Rogério Campos Henriques é formado em Economia pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa e possui um MBA pelo INSEAD.

Engenheiro
Francisco Barbeira

Licenciado em Engenharia de Sistemas e Informática em 1996 pela Universidade do Minho. Frequentou o Stanford Executive Program em 2010. Entrou para o BPI em 1996, integrando a Direcção de Sistemas de Informação. No BPI, já foi responsável pelas Direcções de Marketing, de Novos Canais e de Organização. É actualmente Director Geral de Sistemas de Informação.


Gonçalo Oliveira

Licenciado em Administração e Gestão de Empresas pela Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, detêm um MBA pelo INSEAD, em Fontainebleau, França. CIO de Sistemas de Informação da Galp Energia desde o final de 2014, foi durante 12 anos colaborador da Portugal Telecom ocupando várias posições, incluindo Administrador Executivo da PT Sistemas de Informação e, desde 2013, responsável de Sistemas de Informação (CIO) para Portugal na PT.

Engenheiro
Tiago Azevedo

Diretor de Sistemas de Informação da REN desde 2012, responsável pelos Sistemas de Informação e Redes de Telecomunicações de todas as unidades de negócio do Grupo. Consultor entre 1998 e 2008 na Accenture, com clientes como a Orange UK, Telefonica Internacional, Grupo Portugal Telecom, Optimus& Novis - agora ambos parte da NOS – e Vodafone, entre outros. Diretor Coordenador de Sistemas de Informação na Impresa (Expresso, Visão, Caras, SIC, etc.) de 2008 a 2012. É licenciado em Engenharia Informática e de Computadores pelo Instituto Superior Técnico. Especialista em todas as tecnologias de Informação: estratégia, transformação, desenho da organização, Gestão de orçamento, Gestão de ciclo de vida ( incluindo as mais recentes metodologias ágeis; SCRUM) e IT Governance.

Organização

Departamento de Engenharia Informática, IST, ULisboa

Lurdes Farrusco, Coordenadora de Serviços do DEI

Contactos

Campus Alameda

Av. Rovisco Pais, 1
1049-001 Lisboa, Portugal
Tlf: +351 218 417 784
Fax: +351 218 417 789

Campus Taguspark

Av. Professor Cavaco Silva
2780-990 Porto Salvo, Portugal
Tel: +351 214 233 503